Skip to main content

Especialista orienta como proteger os pets dos barulhos provocados por fogos de artifício

24/06/2018

Sons altos e barulhentos durante as partidas, como fogos de artifícios, cornetas, buzinas e gritos dos torcedores, podem causar estresse nos animais de estimação.

Com o início dos jogos da Copa do Mundo a euforia toma conta da população. É hora de reunir amigos e familiares em casa para torcer mais alto. Enquanto o momento pede celebração e muita diversão, os sons destes ambientes, como fogos de artifícios, cornetas, buzinas e gritos, podem causar estresse entre as crianças, idosos, pessoas doentes e, é claro, nos animais de estimação.

Durante esses eventos é preciso adotar algumas medidas preventivas. Para driblar essas situações de desconforto, o É o Bicho conversou com a veterinária Ana Lorena Costa de Oliveira, que deu dicas de como minimizar os riscos do barulho alto nos pets durante este tipo de evento.

“Quando os animais são expostos a sons altos e diferentes do que os de costume, eles tendem a correr para se esconderem do barulho por medo. O barulho de um carro, ou até mesmo de um grito de gol, pode representar ameaça ao animal. Isso acontece porque o animal não está acostumado a esse tipo de reação”, explica Ana Lorena.

Uma outra maneira de distrair os bichinhos é colocar o som ambiente em casa para abafar os ruídos externos. “Manter o animal no colo o ajuda a se acalmar. Os tutores podem também distrair os pets com brinquedos e atividades, e deixar que se abriguem onde se sentirem mais seguros. Além disso, com indicação do veterinário, é possível garantir a segurança deles com tranquilizante animal”, lembra a veterinária.

Apesar do susto, de acordo com a veterinária, dificilmente esses barulhos danificarão a audição dos bichinhos. Mas ela alerta em casos que o som ocorra bem próximo do ouvido do pet. “Por causa do barulho, dificilmente vai ocorrer a perda da audição, mas pode provocar uma crise convulsiva em animais idosos ou com problemas de saúde. Em alguns casos podendo levar o animal até a morte”, explica Ana Lorena Costa.

Em outros casos, o pet sente um medo tão forte que pode causar a reação de fuga, além de desorientação, agressividade e respiração ofegante. “Os tutores precisam estar atentos com os animais durante os jogos. Além dos fogos e outros ruídos, há mudança na rotina da casa, já que é comum a reunião de familiares e amigos para o evento. É preciso redobrar a atenção com as portas, portões e janelas da casa para evitar fugas dos animais para a rua, pois pode ocorrer que o animal assustado seja atropelado”, alerta.

Ana Lorena Costa ainda explica que a reação dos animais a esses sons se dá pela grande sensibilidade auditiva. Os cães, por exemplo, ouvem até quatro vezes mais que os humanos. Por isso, é importante que o tutor esteja atento para que o seu pet não sofra com a agitação dos jogos de futebol.

Fonte: G1 Grande Minas



Comente

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Fale Conosco

Atenção! No momento não estamos realizando resgates solicitados por e-mail ou telefone. Pedimos a gentileza de não insistirem.

Contatos


Qual é o motivo do seu contato? Veja se a sua dúvida está aqui!

Endereços e Telefones

Não divulgamos publicamente o endereço do abrigo. Lamentavelmente
o número de abandonos em nossas portas é alto.

Devido a grande demanda de visitas e ligações estamos fazendo inicialmente o contato somente por e-mail. Obrigado pela compreensão!

Colabore Conosco!

Banco do Brasil
Agência: 0104-x | Conta-corrente: 89292-0

Caixa Econômica Federal
Agência: 3044 | Operação: 013 | Conta Poupança: 17486-6

PagSeguro
Clique aqui para doar usando cartões de crédito, débito em conta ou boleto.