Skip to main content

A idade certa para ter um animal de estimação

Nenhuma criança deveria ser impedida de passar sua infância na companhia de um animal doméstico. Além do que elas contarão com um grande aliado para suas brincadeiras e com os benefícios que estes seres trazem aos pequenos da casa, que são inúmeros. Entre eles, permitir que as crianças aprendam o sentido da palavra responsabilidade.

Toda criança, salvo raras exceções, já pediu para os pais um animalzinho de estimação. Os mais cotados são os cães e gatos que, além de muito brincalhões, permitem o contato físico, diferente das aves de gaiola, peixes e outros. Muitos psicólogos recomendam um animal de estimação para crianças sozinhas ou com problemas de timidez. O animal também pode despertar o senso de responsabilidade na criança. Mas, será que qualquer criança pode ter um animal de estimação em casa?

Antes de decidir ter o animal, espere que as crianças desenvolvam uma maturidade motora (andar e se movimentar com destreza) e também um grau de entendimento. Essa última parte é fundamental para que seu filho perceba que o animal de estimação é parte da família, por isso não deve ser maltratado.

Crianças muito novas (abaixo de 4 anos de idade) e filhotes de cães ou gatos não são uma boa união. Os pequenos pegam os animais de maneira desajeitada, machucando os filhotes. Elas também não têm noção que o animal sente dor e, ingenuamente, tratam o animalzinho como um brinquedo. Por esse motivo, são comuns as fraturas ou luxações de membros nos filhotes cujos donos são crianças pequenas.

O filhote, por sua vez, pode reagir mordendo ou arranhando diante de uma brincadeira mais violenta por parte da criança. Em alguns países, há pesquisas que mostram altos índices de mordedura em crianças pequenas pelo cachorro da casa. Na maioria das vezes, o cão foi machucado pela criança.

Peixinhos, hamsters ou um pássaro são mais indicados para crianças nessa faixa de idade. Ela poderá ajudar a alimentar e limpar o ambiente do animalzinho, sem um contato físico tão próximo, quando um dos dois pode sair machucado.

“Crianças a partir de 4 anos compreendem melhor a situação e as regras”, diz a pediatra Milena de Paulis, do Hospital Israelita Albert Eisntein (SP).

Crianças a partir de 5 anos de idade já estão aptas a cuidar de um animalzinho, porém, elas devem ser orientadas que o animal não é um mero brinquedo e que deverá ser cuidado e tratado diariamente. Se o animal for um presente para a criança, deve-se optar por raças de cães de pequeno ou médio porte. Lembre-se que um filhote alcança praticamente o tamanho adulto em 6 meses. Isso significa que raças maiores poderão machucar crianças pequenas nas brincadeiras e será impossível para elas conduzirem seus cães nos passeios.

Quando as condições não são favoráveis para se ter um cão ou gato em casa, deve-se convencer a criança a optar por uma outra espécie. No caso de apartamentos pequenos, condomínios que não permitam cachorros, crianças extremamente agressivas ou hiperativas, o animal pode se tornar um problema. E será muito mais traumatizante para a criança ser separada do seu animal do que a frustração de não tê-lo ganho.



Comente

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Fale Conosco

Atenção! No momento não estamos realizando resgates solicitados por e-mail ou telefone. Pedimos a gentileza de não insistirem.

Contatos


Qual é o motivo do seu contato? Veja se a sua dúvida está aqui!

Endereços e Telefones

Não divulgamos publicamente o endereço do abrigo. Lamentavelmente
o número de abandonos em nossas portas é alto.

Devido a grande demanda de visitas e ligações estamos fazendo inicialmente o contato somente por e-mail. Obrigado pela compreensão!

Colabore Conosco!

Banco do Brasil
Agência: 0104-x | Conta-corrente: 89292-0

Caixa Econômica Federal
Agência: 3044 | Operação: 013 | Conta Poupança: 17486-6

PagSeguro
Clique aqui para doar usando cartões de crédito, débito em conta ou boleto.